Thursday, October 6, 2016

546 – The Beatles – Tomorrow never knows (1966)

Escrita por John Lennon mas creditada à dupla Lennon/McCartney, foi gravada em 6, 7 e 22 de abril de 1966 e lançada em 5 de agosto de 1966, no disco Revolver. Na verdade, foi a última música do disco. Foi gravada através de um auto-falante Leslie, que era usado pra auto-falante do órgão Hammond. Pedaços de fita foram preparados pelos Beatles para serem inseridos na música, com a bateria de Ringo numa batida constante mas com um padrão bem diferente. É considerada uma das maiores canções do seu tempo. Pitchfork Media colocou-a como número 19 das 200 melhores canções dos anos 1960s. Rolling Stone Magazine colocou-a como número 19 das 100 maiores canções dos Beatles.

A letra foi inspirada num livro de Timothy Leary, Richard Alpert e Ralph Metzner chamado A experiencia psicodelica: A manuel baseado no livro tibetano dos mortos. John comprou o livro, foi pra casa, tomou LSD e seguiu as instruções como estavam no livro. O titulo foi inspirado nas frases que Ringo vivia falando, assim como A hard day's night e Eight days a week.

A ideia de John era soar como se fossem 100 monges tibetanos cantando. Foi ai que surgiu a ideia do auto-falante do piano. John cantou, tocou órgão Hammond e fez os tape loops. Paul tocou baixo, solo de guitarra ao contrario e fez os tape loops. George Harrison tocou cítara, tambura, e fez os tape loops. Ringo tocou bateria, pandeiro e fez os tape loops. George Martin tocou piano.

Foi regravada por Jimmi Hendrix, Phill Collins, The Grateful Dead, Living colour, David Lee Roth, Dave Matthews, Oasis, entre outros.

A letra:

Turn off your mind, relax and float down stream
It is not dying, it is not dying

Lay down all thoughts, surrender to the void
It is shining, it is shining

Yet you may see the meaning of within
It is being, it is being

Love is all and love is everyone
It is knowing, it is knowing...

... that ignorance and hates may mourn the dead
It is believing, it is believing

But listen to the colour of your dreams
It is not living, it is not living

So play the game "Existence" to the end...
... Of the beginning, of the beginning
Of the beginning, of the beginning
Of the beginning, of the beginning
Of the beginning, of the beginning

A versão dos Beatles:


A versão de Phil Collins:


A versão de Herbie Hancock com Dave Matthews:

No comments:

Post a Comment