Saturday, September 21, 2013

231 – The Beatles – She loves you (1963)



Escrita por John Lennon e Paul McCartney, foi lançada em compacto simples em 1963, que tinha I’ll get you como Lado B. Foi gravada em primeiro de julho de 1963 e lançada em 23 de agosto do mesmo ano na Inglaterra e 16 de setembro nos Estados Unidos. 

A cançao quebrou vários e estabeleceu novos recordes nos charts ingleses e estabeleceu-se nos Estados Unidos como uma das cinco músicas dos Beatles que ficaram nos cinco primeiros lugares ao mesmo tempo em 4 de abril de 1964. Foi o compacto que mais vendeu na Inglaterra. É o numero 64 das 500 maiores cancoes de todos os tempos da revista Rolling Stone. 

John e Paul começaram a compor She loves you no dia 26 de junho de 1963, enquanto estavam em turne com Roy Orbison e Gerry and The Pacemakers, em Newcastle. Começaram a escrever no onibus da turne e terminaram quando chegaram no hotel. 

Paul disse que pensaram na música Forget him, de Bobby Rydell. Segundo ele, sempre que compoe, ele pensa em outra pra poder começar. Entao Paul pensou em escrever uma cançao pergunta-resposta, com todos dizendo She Loves you e todos respondendo Yeah, yeah, yeah. Não gostaram da ideia, mas gostaram do titulo She loves you e ficaram várias horas no hotel criando essa musica. Foram terminar somente na casa de Paul, na Forthlin Road, em Liverpool. 

Curiosamente, a canção não falava na primeira pessoa. Era falando de uma garota que amava outro cara, muito diferente das coisas que eram feitas sempre na primeira pessoa ou sobre a menina que amava o compositor. Era assim: You think you lost your love. Well, I saw her yesterday. It’s you she’s thinking of. And she told me what to say. She says she loves you… 

John confessou que essa foi idéia de Paul. Em vez de dizerem mais uma vez I love you, procuraram inovar com uma terceira pessoa. John disse que esse tipo de coisa ficou muito na carreira de Paul, enquanto que John sempre escrevia sobre ele mesmo. 

John disse tambem que o yeah, yeah, yeah veio da All shook up, de Elvis Presley. O “oooo”, John disse que veio da gravacao de Twist and Shout dos Isley Brothers. 

Paul disse que tocou a canção logo que ficou pronta pro seu pai, e o pai dele disse que gostou da música, mas achava que ele deveria tirar esses yeah, yeah, yeah, pois eram de um americanismo que ele não gostava. Os dois disseram que o pai de Paul não estava entendendo, não podia ser She loves you, yes, yes, yes… O pessoal da EMI pensou igual ao pai de Paul e novamente entraram em argumentos.  

Norman Smith, engenheiro de gravacao da EMI, disse que primeiro viu a letra da música e disse, puts, essa vai ser uma das músicas que não vou gostar. Mas quando começaram a tocar, ele disse que não conseguia ficar parado dentro da cabine. 

O refrao Yeah yeah yeah, logo se tornou um instantaneo, efetivo, infeccioso musical hook, daqueles que ninguem consegue tirar da cabeça. Tambem de maneira diferente, a cançao comeca logo com o refrao, em vez do primeiro verso. Não possui tambem bridges, usando somente o refrao pra ligar os versos. Os acordes mudam a cada duas medidas e o esquema harmonico é na maioria estatico. 

A música começa com dois tempos de batidas na bateria por Ringo. Na verdade, a bateria de Ringo é um dos pontos altos da gravação. Os instrumentos eletronicos são mixados mais altos do que antes, especialmente o baixo de Paul. Os vocais principais são feitos por John e Paul em unissono. 

George Martin não gostou do acorde G6 que termina a cançao, que foi sugerido por George Harrison. Mas apos discutirem, os Beatles mantiveram desse mesmo jeito e Martin acabou aceitando.

A cançao foi gravada em primeiro de julho de 1963, menos de uma semana depois de ser terminada. Foi gravada numa maquina de gravacao de two track. A documentacao que determina o numero de takes não existe.

Tambem foi gravada em alemao, seguindo a mesma historia de I want to hold your hand. Se tornou “Sie liebt dich”, e foi gravada em 29 de janeiro de 1964 pelos Beatles, contrariados. Foi gravada junto com Komm, gib mir deine hand, no Pathe Marconi Studios, em Paris.

A única diferenca entre essa gravacao em alemao e a de I want to hold your hand, foi que nesse caso aqui, tiveram que gravar tudo de novo, pois o original estava perdido. No caso de I want to hold your hand, apenas gravaram a voz em alemao por cima da gravacao original instrumental. Ambas foram traduzidas por um músico de Luxemburgo chamado Camilo Felgen, sob o pseudonimo de Jean Nicolas.

A pressao era grande. Milhares de fàs habiam reservado o proximo compacto da banda no começo de junho de 1963, sem nem saber ainda o que viria. Foi nessa pressao que eles compuseram a canção. No dia anterior ao lançamento, 500 mil copias foram compradas. O compacto quebrou muitos records no Reino Unido. Entrou nos charts em 31 de agosto de 1963 e ficou por la por 31 semanas consecutivas, sendo que 18 dessas semanas no TOP THREE. Durante esse periodo, chegou ao número em 14 de setembro, ficando no número 1 por 4 semanas, caindo pro número 3, e voltando ao número 1 de novo por duas semanas consecutivas, a partir de 30 de novembro. Em novembro de 1963, já haviam vendido um milhao de copias.

O compacto de She Loves you foi o maior vendedor de discos em 1963 no Reino Unido e tambem o compacto dos Beatles que mais vendeu no Reino Unido em toda a historia. Era tambem o maior vendedor de discos da historia ate 14 anos depois, quando foi ultrapassado por Mull of Kintyre, dos Wings, escrita por Paul McCartney e Denny Laine. 

Hoje, em 2013, o compacto de She Loves You ainda é o oitavo maior vendedor de discos da historia do Reino Unido, tendo vendido 1.9 milhoes de copias.

O sucesso enorme de She Loves you no Reino Unido deixou George Martin e Brian Epstein loucos com a seguinte questao: por que esse sucesso todo no Reino Unido e um fracasso até entao estrondoso nos Estados Unidos? Até entao, o compacto com From me to you tinha sido o único a entrar nos charts pop americanos, e com a pífia posicao de 116.

O problema era que a Capitol não queria lançar os Beatles lá e assim eles foram lançados pelo pequeno label Vee-Jay Records, ate que este label não pagou os royalties dos Beatles. Foi quando a Transglobal Music, uma filiada da EMI, ordenou que a Vee-Jay parasse de fabricar e distribuir os discos dos Beatles nos Estados Unidos. Como Epstein queria um label pra lançar She Loves you, a Transglobal encontrou a Swan Records, que para evitar processos judiciais, Epstein so assinou pra esse compacto em especial e por apenas dois anos.

Quando chegou na America, em 16 de setembro de 1963, o compacto de She Loves You teve pouco tempo tocando nos radios. Vendeu apenas mil copias e não entrou nos charts pop. Quando chegou janeiro de 1964 e os Beatles lançaram I want to hold your hand na America, que logo chegou ao número 1 dos charts pop americanos, e lançando a British Invasion na cena musical americana, isso fez com que o caminho fosse pavimentado pra outros discos e outros artistas vindo do Reino Unido.

Desse modo, She Loves You entrou nos charts pop americanos logo em 25 de janeiro de 1964. Apareceram no Ed Sullivan Show em fevereiro, onde tocaram She Loves you e outras cancoes. She loves you ficou 5 semanas no número 2 dos charts pop americanos, ficando atras somente de I want to  hold your hand, até que chegou ao numero 1 por duas semanas consecutivas, começando em 21 de marco. Durante suas 15 semanas nos charts, She loves you foi uma das 5 musicas dos Beatles a dominar o TOP FIVE ao mesmo tempo, ou seja, 5 músicas dos Beatles no TOP FIVE dos charts pop americanos. Elvis Presley quase morria do coração.

A Capitol nos Estados Unidos não queria conversa com os Beatles, mas no Canada lançaram She loves you em setembro de 1963. Foi tocado por uma estacao de radio de Ontario, a CKWS e entrou nos charts nacionais em 2 de dezembro de 1963. Chegou no Top Five em 23 de dezembro de 1963 e ficou nove semanas no número 1, a partir de janeiro de 1964.  

She Loves you foi o primeiro compacto dos Beatles a vender na europa continental e levou os Beatles à uma turnê na Suécia no final de outubro de 1963. Anterior à She Loves you, artistas ingleses não tinham muito sucesso no mercado europeu continental. 

She loves you é a cançào que deu aos Beatles um lugar na cena musical britanica, em todo o país. Muitos acreditam que isso se deve ao musical hook do yeah, yeah, yeah. Segundo os criticos, o yeah, yeah, yeah, deixavam o sujeito louco, de uma forma ou de outra. 

No Brasil se tornou o Iê, iê, iê. Um completo movimento musical, que em outras palavras, foi originado de She Loves You. Em 1975, os autores Roy Carr e Tony Tyler escreveram um livro chamado The Betales: An Illustrated Record e disseram que se um futuro arquivista tivesse que selecionar uma simples canção para caracterizar os fatores e estilos que fizeram os Beatles famosos no mundo inteiro, ele seria obrigado a escolher She Loves you. 

Em 1979, o autor Greil Marcus incluiu She Loves you no seu livro Stranded: Rock and roll for a desert island, que é uma lista das músicas de rock essenciais. Marcus disse que se ele tivesse que explicar à um marciano o significado de rock and roll, a resposta seria She Loves you. 

No dia 10 de dezembro de 1980, dois dias depois da morte de John Lennon em Manhattan, os fãs fizeram uma vigilia durante várias noites e o jornal ingles The Sun teve sua primeira página com letras garrafais, que dizia THEY LOVED HIM, YEAH, YEAH, YEAH. 

Em 27 de julho de 2012, durante os jogos olimpicos de Londres, She loves you foi tocada na abertura dos jogos.

Curiosamente, apesar de ser sempre tocada nas perfomances da radio BBC, não foi lançada no disco de 1994 chamado Live at the BBC. Tambem não entrou no disco do primeiro filme deles chamado A hard day’s night, embora tenha sido a música que encerra o filme, num show.

Só parou de ficar no repertorio dos Beatles ao vivo no final de 1964. Em 1965 e 1966, os Beatles não tocaram She loves you nos shows. Na gravação de All you need is love, de 1967, Paul canta She loves you yeah, yeah, yeah.  Tambem no filme Magical Mystery Tour, uma versao com orgao de She Loves you é tocada.

Paul tambem cantaria We love you yeah, yeah, yeah no fim do seu dueto com Stevie Wonder na música What’s that you’re doing, no album Tug of war. Paul nunca tocou She loves you completa, ao vivo, nem com os Wings e nem sozinho, mas canta a partezinha onde diz She loves you yeah, yeah, yeah, quando toca All you need is love ao vivo.

Neil Diamond fez uma gravacao de She Loves you. Tambem Peter Sellers. Na turnê de Vertigo, Bono Vox sempre cantava She Loves you no fim da música Vertigo, que tambem um yeah, yeah, yeah. Em 1987, Cher She Loves you yeah, yeah, yeah na sua música Working girl, do seu album Cher.

Na gravação original, John tocou violoes e fez os vocais principais. Paul tocou baixo e fez os vocais principais. George tocou guitarra solo e fez backing vocals. Ringo tocou bateria. George Martin foi o produtor e o engenheiro de gravacao foi Norman Smith.

A letra:

She loves you, yeah, yeah, yeah
She loves you, yeah, yeah, yeah
She loves you, yeah, yeah, yeah, yeah

You think you lost your love,
Well, I saw her yesterday.
It's you she's thinking of
And she told me what to say.

She says she loves you
And you know that can't be bad.
Yes, she loves you
And you know you should be glad.

She said you hurt her so
She almost lost her mind.
But now she said she knows
You're not the hurting kind.

She says she loves you
And you know that can't be bad.
Yes, she loves you
And you know you should be glad. Ooh!

She loves you, yeah, yeah, yeah
She loves you, yeah, yeah, yeah
And with a love like that
You know you should be glad.

You know it's up to you,
I think it's only fair,
Pride can hurt you, too,
Apologize to her

Because she loves you
And you know that can't be bad.
Yes, she loves you
And you know you should be glad. Ooh!

She loves you, yeah, yeah, yeah
She loves you, yeah, yeah, yeah

with a love like that
You know you should
Be Glad!

with a love like that
You know you should
Be Glad!

With a love like that
You know you should
be glad!

Yeah, yeah, yeah.
Yeah, yeah, yeah Ye-ah.

A gravação original:



Ao vivo, no meio da gritaria e com som péssimo:



Ao vivo em Melbourne, Australia:

No comments:

Post a Comment