Saturday, March 11, 2017

604 – The Beatles – Penny Lane (1967)

Escrita por Paul McCartney mas creditada à dupla Lennon/McCartney, foi gravada em 29 de dezembro de 1966 e 17 de janeiro de 1967 e lançada em 13 de fevereiro de 1967 como Lado A de um compacto que tinha Strawberry fields forever como outro Lado A.

A letra fala de uma rua real chamada Penny Lane, localizada em Liverpool. Foi gravada durante as sessões do disco Sgt. Peppers. A gravadora queria algo novo, já que fazia tempo que não lançavam nada e então surgiu Penny Lane e Straberry fields. É a canção número 456 das 500 maiores canções de todos os tempos da revista Rolling Stone.

Penny Lane era um lugar familiar de John e Paul. Era um terminal de onibus. Paul pegava um onibus pra casa de John e trocava de onibus em Penny Lane e no caso de John tambem se repetia quando ia pra casa de Paul. Então sempre ficavam por ali.

O piano foi o principal instrumento dessa gravação. O trumpete piccolo foi tocado por David Mason. O solo de trumpete piccolo foi em estilo barroco, decidido após Paul ver um concerto de Mason sobre Bach na BBC. David recebeu 27 pounds e 10 shillings por sua peformance. Foi a primeira vez que usaram o trumpete piccolo na música pop.

George Martin disse que até aquele momento, Penny Lane e Straberry fields eram as duas melhores coisas que os Beatles tinham feito até então. Estavam em transe. No entanto, como ironia, o compacto não chegou ao número 1 no Reino Unido, coisa que eles vinham fazendo desde Love me do em 1962. Muitos começaram a dizer que era o declínio dos meninos de Liverpool. Ledo engano. Já nos Estados Unidos chegaram ao número 1.

Elas deveriam ter entrado no Sgt. Peppers, deixando o disco ainda mais fantástico. Mas só entraram no Magical Mystery Tour, no final de 1967.

Paul cantou, tocou piano, baixo, harmonium, pandeiro e efeitos. John fez vocal, piano, guitarra, congas e bateu palmas. George Harrison fez backing vocals, guitarra solo e bateu palmas. Ringo tocou bateria e sino. George Martin tocou piano e fez o arranjo da orquestra.

A letra:

In Penny Lane there is a barber showing photographs
Of every head he's had the pleasure to have known
And all the people that come and go
Stop and say hello

On the corner is a banker with a motorcar
The little children laugh at him behind his back
And the banker never wears a mac
In the pouring rain, very strange

Penny Lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies
I sit, and meanwhile back

In Penny Lane there is a fireman with an hourglass
And in his pocket is a portrait of the queen
He likes to keep his fire engine clean
It's a clean machine

Penny Lane is in my ears and in my eyes
A four of fish and finger pies
In summer, meanwhile back

Behind the shelter in the middle of a roundabout
The pretty nurse is selling poppies from a tray
And though she feels as if she's in a play
She is anyway

In Penny Lane the barber shaves another customer
We see the banker sitting waiting for a trim
And then the fireman rushes in
From the pouring rain, very strange

Penny lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies
I sit, and meanwhile back
Penny lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies
Penny Lane

A versão dos Beatles:

A versão de Paul McCartney:


A versão de Elvis Costello na Casa Branca:


No comments:

Post a Comment